Investimentos do Mercado Livre em Logística

Investimentos do Mercado Livre em Logística

Quando o assunto é ganhar espaço no varejo, o Mercado Livre não perde tempo. Em meio aos efeitos da pandemia e a alta do Ecommerce, a companhia argentina já projeta um investimento bilionário na logística para o ano que vem. O foco é entregar os pedidos mais rápido para vender cada vez mais. 

Diante disso, o mercado não chamou a disputa entre as líderes varejistas de “Guerra dos Fretes” à toa…

Hoje, as empresas que não investem em iniciativas para aprimorarem suas logísticas de entrega estão ficando para trás… Cenário que o Mercado Livre prontamente já tratou de evitar.

Ao longo deste artigo, vou apresentar os planos do Mercado Livre para sua logística no ano que vem, além de tudo o que a empresa vem fazendo nesse sentido até o momento. Também vou te mostrar o foco do momento da empresa: as vendas em um dos maiores eventos do ano para o varejo.

Investimentos para o Ano que Vem

Só neste ano, o Mercado Livre desembolsou R$ 4 bilhões para investir no marketplace no Brasil…

E a ideia da companhia argentina, agora, é ultrapassar esse valor ainda mais para 2021. A quantia exata ainda não foi divulgada…

Mas, de acordo com Fernando Yunes, country manager do Mercado Livre no Brasil, a meta é consolidar a logística da empresa, principalmente neste período em que a pandemia do covid-19 tem impulsionado as vendas no Ecommerce de forma avassaladora:

“Começamos agora o planejamento do ano que vem e queremos investimentos maiores que neste ano (…) Houve mudança estrutural de hábito e o mercado mudou de patamar. O comportamento dos consumidores não deve voltar ao que era antes da pandemia”, afirma o executivo.

Desse modo, a verdade é que com a alta demanda de pedidos no Ecommerce, a concorrência entre as líderes do setor ficou ainda mais acirrada…

Recentemente, a lógica que passou a nortear as varejistas é a de que “Quem vende mais rápido, vende mais.”

Diante disso, não teve jeito: as líderes do mercado não pouparam esforços para aprimorar a logística de suas entregas…

O Mercado Livre, por exemplo, foi uma das companhias que mais investiu nesse sentido…

Esforços do Mercado Livre Brasil na Logística

Ao longos dos últimos anos, todo o ecossistema de logística do Mercado Livre evoluiu bastante…

A empresa argentina investiu em:

  • Centros de distribuição (a empresa anunciou a abertura do 3º CD no país, próximo à Salvador);
  • Centenas de pontos físicos para depósito de produtos;
  • Aumento da malha logística nas estradas. 

Como complemento ao Mercado Envios, a companhia também lançou também o Mercado Envios Full, que é o fulfillment do Mercado Livre. O serviço tem como objetivo dar ao vendedor um depósito exclusivo dedicado ao estoque, além de ser o responsável por todo o processo de embalagem, envio e até pós-venda dos produtos.

Mas as iniciativas não param por aí…

Só neste ano, o Mercado Livre, a companhia mais valiosa da América Latina comprou a Kangu, empresa de logística conhecida por fazer a ligação entre pequenos empreendedores e consumidores que estão em uma mesma região…

Além disso, o Mercado Livre também contratou 60 carretas para auxiliarem nas entregas de encomendas ao redor de todo o país. 

Ou seja: a meta da empresa e não perder espaço no mercado para nenhuma possível concorrência…

E mais do que isso:

Todos esses esforços simbolizam os planos de o Mercado Livre para as datas comemorativas de final de ano, como a Black Friday e o Natal. Em relação a isso, a gigante pretende superar fortemente os lucros obtidos no ano passado…

Black Friday é o Foco do Mercado Livre

Em 2020, de acordo com pesquisa realizada pela Rakuten Advertising, 86% dos brasileiros querem comprar online na Black Friday e no Natal, um percentual bem acima da média global que marca 73%. 

E o Mercado Livre, claro, está de olho nesses dados, principalmente com a alta avassaladora do Ecommerce nos últimos meses.

Para você ter uma ideia, o site do Mercado Livre teve – em alguns dias deste ano – números de acessos diários maiores dos que os obtidos na Black Friday de 2019…

Durante esses dias, o número mais alto chegaram a 41 milhões. Já na Black Friday do ano passado, as visitas diárias atingiram 32,8 milhões. 

Por isso, o Mercado Livre não perde tempo…

“Gostaríamos de passar dos três dígitos de crescimento na Black Friday deste ano, dado que aprovamos investimento três vezes maior do que o do ano passado”, disse Yunes ao Bloomberg.

Na prática, isso significa que o Mercado Livre tem traçado os seguintes objetivos: 

  • Entregar cerca de 75% de todos os produtos armazenados e entregues pelo marketplace em até de 48 horas, em comparação aos 55% na Black Friday de 2019;
  • Realizar entregas aos fins de semana e reduzir mais a dependência dos serviços prestados Correios.

Portanto, não há como negar: a disputa entre as varejistas vai ser acirrada na Black Friday 2020…

Enquanto Magazine LuizaB2W e Amazon também se esforçam para aprimorarem sua logística…

O Mercado Livre também não perde tempo. O foco é faturar ainda mais em um dos eventos mais aguardados do ano.

Deixe uma resposta