AliExpress é o site internacional de compras líder no País

AliExpress é o site internacional de compras líder no País

Ao chegar no Brasil, há seis anos, o site chinês AliExpress parecia um grande repositório de bugigangas: produtos baratos, alguns com qualidade duvidosa, e pelos quais o consumidor tinha de esperar por meses. Mesmo assim, a divisão de comércio eletrônico da gigante chinesa Alibaba se tornou, em 2019, o principal site internacional de compras na preferência dos brasileiros, deixando para trás Amazon e eBay…. – Veja mais em https://www.uol.com.br/tilt/ultimas-noticias/estado/2019/10/22/aliexpress-estuda-abrir-centro-de-distribuicao-no-brasil.htm?cmpid=copiaecola

O Aliexpress é um marketplace conhecido no mundo inteiro. No Brasil, a companhia também tem alta demanda e um público bem definido… Entretanto, isso não impede que o Aliexpress não tenha grandes desafios quando o assunto é a sua atuação no país. 

Para você ter uma ideia, o marketplace enfrenta os mesmos problemas que outras varejistas: dificuldade com a logística em um país tão grande como o Brasil

Mas, no caso do Aliexpress, isso tudo fica ainda um pouco mais complicado: o marketplace precisa trazer para o Brasil os produtos comercializados na China. Isto é, há uma longa distância a ser percorrida para a entrega de mercadorias…

Contudo, será que esse é o grande desafio do Aliexpress no Brasil? É o que explicaremos ao longo deste artigo.

Antes, podemos começar pelo básico: a apresentação de um dos maiores marketplaces do mundo… Veja. 

O que é o Aliexpress?

O que é o Aliexpress é uma pergunta que ainda permeia a mente de muitos empresários de Ecommerce…

O Aliexpress é um marketplace do grupo Alibaba e é amplamente conhecido ao redor do mundo. 

A plataforma funciona como a maioria dos marketplaces: milhares de vendedores anunciam produtos aos seus potenciais clientes, que, por sua vez, efetuam as compras dentro da própria plataforma…

Assim, o Aliexpress definitivamente não é um marketplace de nicho. Pelo contrário, a gama de produtos comercializados no site Aliexpress é enorme. Entre suas categorias, estão:

  • Moda Feminina;
  • Moda Masculina;
  • Telefones & Telecomunicações;
  • Computadores, Escritório e Segurança;
  • Eletrônicos;
  • Joias e Relógios;
  • Casa, Pet e Eletrodomésticos;
  • Bolsas e Calçados;
  • Brinquedos e Infantil;
  • Diversão Ao Ar Livre;
  • Saúde, Beleza e Cabelo;
  • Auto e Moto;
  • Reforma, Construção e Ferramentas. 

Entretanto, apesar da diversidade de produtos e do nome conhecido, o marketplace ainda é visto de forma mais restrita entre os brasileiros…

Isto é, o público principal da do Aliexpress Brasil são os jovens com maior poder aquisitivo. Segundo Yan Di, diretor geral do Aliexpress no Brasil, em entrevista à EXAME, cerca de 60% dos usuários possui idade abaixo de 30 anos e compram em torno de R$ 1.900 mensalmente com compras pela feitas pela internet. 

Mas, independentemente disso, o Aliexpress tem tido bons resultados no Brasil…

Aliexpress Brasil: como está sendo 2020 para o Marketplace

Apesar de não informar em números o desempenho do Aliexpress no Brasil, a companhia afirma que houve um aumento nas vendas de até 130% em algumas categorias neste ano.

Com isso, 2020 está sendo considerado como o melhor ano para a Aliexpress nos últimos 10 anos…

Mas não só isso…

O Aliexpress fez investimentos significativos no Brasil em 2020, principalmente no que diz respeito à área de logística e entrega. 

Com o objetivo de fazer entregas mais rápidas, a companhia passou a fretar 3 voos semanalmente para trazer produtos da China para o Brasil…

A iniciativa foi positiva, pois, de acordo com a própria Aliexpress Brasil, o tempo médio para a realização de entregas teve uma redução de 3 meses

Além disso, a companhia criou o Aliexpress Direct, serviço que reúne em um mesmo pacote os pedidos de compras feitas com diferentes vendedores. 

Isso, na prática, já agilizou muito todo o processo de entrega de mercadorias do marketplace… 

Desse modo, não há como negar: a edição brasileira da Aliexpress tem crescido e quer se desenvolver ainda mais no país…

Contudo, isso não significa que a empresa não tenha grandes desafios no varejo brasileiro.

Desafios da Aliexpress no Brasil

A própria estrutura do país é um grande desafio para o Aliexpress. 

Ainda de acordo com Yan Di, o prazo para as entregas no Brasil, em muitos casos, chega a ser maior do que o período necessário para a chegada dos produtos na fronteira.

“Podemos trazer tecnologia para otimizar e escolher a melhor rota, mas precisamos ter paciência com a infraestrutura de entrega no país”, ressalta. 

Contudo, a logística ainda não é o maior desafio para a companhia aqui no Brasil…

Hoje, é possível dizer que o maior concorrente da empresa país é a ainda baixa participação do Ecommerce nos resultados gerais do varejo.

Isto é, em 2019, o setor representou apenas 5% das vendas totais…

Um cenário bem diferente do encontrado na China, em que o Ecommerce atinge 30% das vendas. 

Entretanto, o prognóstico tem tudo para ser positivo…  

Em meio à pandemia, as compras feitas pela internet tem aumentado de forma avassaladora… E isso, em si, já representa um avanço. 

Só no 1º semestre deste ano, o Ecommerce teve uma expansão de 40% no número de usuários

Ao todo, cerca de 7,3 milhões de pessoas fizeram compras pela internet pela primeira vez, o que representa:

  • 40% de usuários recorrentes;
  • 38% de novos usuários.

Diante disso, fica claro que o Ecomemrce brasileiro está crescendo a cada dia mais…

E mais do que isso:

Os esforços do Aliexpress fazem total sentido quando analisado todo o setor hoje. Isto é, o movimento que as varejistas estão tendo atualmente dentro do setor…

E qual seria ele? Foco no aprimoramento das estratégias de logística…

Atenção Total às Entregas Mais Rápidas

Recentemente, um movimento presente no mercado de Ecomemrce chamou a atenção de o mercado. Foi a chamada “Guerra dos Fretes”.

Na prática, as varejistas estão sendo norteadas pelo seguinte pensamento: Quem vende mais rápido, vende mais.

Diante disso, todas as principais companhias do varejo estão se esforçando para aprimorar suas logísticas, claro…

O mercado Livre, por exemplo, vem investindo pesado nas seguintes frentes:

  • Centros de distribuição (a empresa anunciou a abertura do 3º CD no país, próximo à Salvador);
  • Centenas de pontos físicos para depósito de produtos;
  • Aumento da malha logística nas estradas (contratação de 60 carretas para auxiliar nas entregas);
  • Compra da Kangu, empresa de logística conhecida por fazer a ligação entre pequenos empreendedores e consumidores que estão em uma mesma região…

Além disso, a companhia anunciou recentemente que está nos seus planos fazer um investimento recorde para 2021. E sua logística, claro, é o foco disso tudo. 

Mas a companhia mais valiosa da América Latina não é a única a lançar esforços nesse sentido…

A B2W anunciou há alguns dias a abertura de mais 3 centros de distribuição no país…

Já a Amazon Brasil, por exemplo, abriu recentemente mais um centro de distribuição no Brasil, em Cajamar, região metropolitana de São Paulo. Ao todo, são 5 centros da Amazon em todo o país.

E a Magazine Luiza, comprou a GFL e a SincLog, empresas especializadas em logística. Além disso, também abriu um centro de distribuição no Rio de Janeiro

Sendo assim, diante de todo esse cenário, as iniciativas da Aliexpress Brasil estão coerentes com o mercado de varejo nacional…

Há reais desafios para a companhia aqui no Brasil… Mas suas estratégias para contornar isso só confirmam todo o potencial de vendas que a Aliexpress tem aqui país.

Deixe uma resposta